Como sociabilizar um gato filhote

Passear com o seu cão é algo normal. E se você quer que ele ande calmo e alegre, não se assuste com facilidade, que receba as visitas na sua casa sem pulos e sem medo e que brinque com os outros cães no parque é preciso apostar em uma boa sociabilização quando o animal ainda é um filhote. Mas você já pensou que para o seu gatinho a sociabilização é tão importante quanto para os cães?

Para termos um gato adulto calmo e confiante, que aceite visitas e não fuja apavorado e até que consiga passear em locais calmos na coleira é preciso ensiná-lo desde filhotinho.  A chamada janela de sociabilização começa a se fechar a partir da 12ª semana de vida dos bichanos, portanto, devemos aproveitar bem os primeiros momentos do gatinho na nova casa para que ele tenha uma adaptação tranquila e se torne um membro ativo da família.

Da mesma forma que com cães filhotes, devemos apresentar novas pessoas e situações para o gatinho sempre de forma leve e divertida. Usar brinquedos que simulem uma caçada com cordas, com penas ou com chocalhos na ponta ajuda muito a quebrar o gelo de uma situação delicada que o filhote venha a passar.

O uso de sachês de ração úmida pode ser necessário se o animalzinho estiver mais tímido e ajuda a perceber quando uma situação passou do limite que ele pode suportar, pois assim que o animal se sente muito desconfortável ele para de comer. Esse é o momento de voltar um passo na apresentação da situação nova, relaxar e começar novamente mais devagar.

É importante apresentar ao novo integrante da família tudo aquilo que ele terá que passar quando adulto. Logo, manipular seu corpo, patas, orelhas e boca é muito importante para as futuras idas ao veterinário, assim como acostumá-lo a usar a caixa de transporte, sempre com reforços positivos para cada conquista.

Caso ele venha a ter contato com outras espécies como cães, pássaros ou roedores, essa é a hora de apresentá-los e ensiná-los como deve ser essa interação. Como o risco da interação interespécies pode ser alto, a ajuda de um profissional na área de adestramento é altamente recomendada.

Andar na coleira na rua pode não ser para qualquer gatinho, já que os mais tímidos podem não se sentir confiantes em ambientes tão abertos. Para aumentar as suas chances de passear com o bichano, comece com essa rotina desde de cedo, com uma coleira específica para gatos e de forma bem gradativa e divertida.

Além disso, passeie com ele apenas após as vacinas e liberação do veterinário, mas sempre em local calmo e isolado (se for preciso, leve-o até lá na caixa de transporte).

Se preocupe sempre com a segurança do local para evitar cães soltos ou barulhos muito altos que possam assustar o gatinho, avance sempre devagar nos treinos e respeite o conforto e a vontade do seu amigão.