Ansiedade de separação

Por muitas vezes, a reclamação principal do tutor ao chamar um adestrador é que o cãozinho está latindo muito quando fica sozinho ou que está destruindo os móveis da casa. Mas o que muita gente não sabe é que estes podem ser sinais de ansiedade de separação, que nada mais é do que o medo de ficar sozinho e não saber quando (e se) os tutores voltarão para a casa.

Para resolvermos estes problemas, não adianta focarmos os treinos somente na destruição ou nos latidos, precisamos ir direto à causa e ensinar ao cão que não há mal algum em ficar sozinho.

Como os cães são animais de grupo, ficar sozinho pode causar grande ansiedade, mas, ao contrário do que se pode pensar, nem sempre trazer mais um cão pra casa é a solução, porque essa ansiedade de separação normalmente é por causa de um ser humano.

Portanto, antes de pensar em trazer outro cão para a casa, consulte um especialista e faça os treinos específicos para, depois, caso seja indicado, trazer um novo amigo para o seu pet. A vinda do novo cão sem planejamento pode deixar o seu peludo ainda mais ansioso.

Brinquedos interativos, aqueles em que podemos colocar ração e petiscos dentro, ajudam muito nos treinos. Eles ensinam o cão que brincar sozinho pode ser muito legal e recompensador e ajuda a passar o tempo em que ele ficará sozinho de forma mais produtiva.

Existem no mercado até produtos com possibilidade de programação de horários para ativar, assim a brincadeira pode começar várias vezes por dia, ajudando os tutores que precisam ficar longos períodos fora de casa.

Os treinos devem ser gradativos e simular situações reais de saída ajuda muito na evolução dos casos. Ensinar o cão a brincar em um cômodo separado, mesmo quando estamos em casa, dessensibilizar os sinais da nossa saída como colocar o sapato, pegar a bolsa e as chaves também é importante para que o cão fique menos ansioso com a nossa saída.

Mas nem todo cão apresenta esses sinais, alguns podem apenas babar em excesso, raspar a porta, fazer as necessidades em local errado ou mesmo entrar em um estado de total apatia, sem beber ou comer quando os tutores estão fora de casa.

Por isso, o diagnóstico correto de um profissional é indicado. E não pense que se o seu cão não late ou não destrói objetos o problema não precisa ser tratado, muito pelo contrário, se o cão não come, não bebe ou não faz as necessidades quando está sozinho, ele pode desenvolver sérios problemas de saúde! Então, fique de olho no seu peludo e procure ajuda caso perceba que ele apresenta algum destes sinais.